sexta-feira, 3 de setembro de 2010

LABIRINTO DE EMOÇÕES









Não consigo mais.

A lembrança vai se apagando.

O que era nítido torna-se incolor.

E não consigo entender tudo isso!

Não sinto o cheiro.

Não me lembro da voz.

Não vejo o olhar.

Não desejo o toque.

Não tenho vontade de ligar.

E não consigo entender tudo isso!

O coração vazio,

A cabeça cheia,

O corpo sem rumo,

Os sonhos: confusos e escondidos de mim mesmo.

E não consigo entender tudo isso!

Não consigo me encontrar.

Não consigo me ouvir.

Não consigo me entender.

Não consigo nos ver.

E não consigo entender tudo isso!

Mas se começo a pensar...

O que era incolor torna-se nítido

Desejo sentir seu cheiro.

A voz do anjo sussurra ao meu ouvido.

Olho nos seus olhos.

Sinto o seu toque.

Pego o celular e começo a discar.

E não consigo entender tudo isso!

Mas a cabeça continua cheia,

O corpo continua sem rumo,

Os sonhos ainda são confusos e tento esconde-los de mim mesmo.

E não consigo entender tudo isso!

Não consigo me encontrar.

Não consigo me ouvir.

Não consigo me entender.

Não consigo nos ver.

E não consigo entender tudo isso!